27.8.09

615 livros foram roubados da biblioteca da ESDI

\ Bem, normalmente não gosto de acavalar uma postagem imediatamente após a outra no mesmo dia, especialmente correndo o risco de tolher o afã noveleiro do correspodente Beluga, mas acabei de saber de algo hoje que me deixou chocado.

A notícia de que a biblioteca da ESDI teria sido roubada em 615 livros de seu acervo está sendo reproduzida sem muitos detalhe. Ainda não entendi se foi uma ação recente ou se a equipe do local chegou a conclusão de que esses volumes desapareceram ao longo dos anos, após algum levantamento realizado recentemente. Reproduzo abaixo o texto que está sendo divulgado na internet (via e-mails e wordpress).

A biblioteca da Esdi, Escola Superior de Desenho Industrial, possui o mais completo acervo sobre design e áreas correlatas do país. Seus mais de 5000 livros são consultados por estudantes de graduação e pós-graduação da escola e de outras instituições, além de profissionais e demais interessados. O roubo representa um desfalque de mais de 10% desse acervo.

Os alunos da escola sentem-se perplexos e indignados com o ocorrido. As medidas legais já foram encaminhadas nas devidas instâncias. Ainda assim sentimos que não podemos permanecer calados aguardando que um processo se cumpra e que um culpado seja identificado, sem que isso tenha maior repercussão na comunidade esdiana e na opinião pública.

A Esdi, primeira escola de design da América Latina, é hoje uma unidade da UERJ, Universidade do Estado do Rio de Janeiro e oferece cursos de graduação e pós-graduação em design. Devido à excelência de seu ensino gratuito, a Esdi foi considerada uma das 60 melhores escolas de design do mundo pela Busines Week em 2007.

Para muitos, a Esdi é como uma segunda casa, uma segunda família. Essa perda tem um grande valor simbólico para todos aqueles que já passaram pela escola.

Esse momento, tão delicado, pode ser a oportunidade de contribuirmos para a preservação da qualidade de nossa biblioteca. Devemos nos mobilizar para não apenas repor o mais rapidamente os títulos perdidos, mas também para expandir e diversificar o acervo, através de doações. Serão aceitas publicações, novas ou usadas em bom estado, que deverão ser entregues na secretaria da escola.

A biblioteca da Esdi é um patrimônio público. A responsabilidade é de todos nós!

\ Enfim, quem souber de mais detalhes, pode complementar essa informação nos nossos comentários. No sítio 615 livros pode-se entrar em contato com os organizadores da campanha.

Fica a pergunta sobre como esse fato aconteceu (como é possível sumir 10% do acervo de uma biblioteca e seus funcionários não percebem?) e o que será feito para impedir que outros livros sejam furtados. Mais importante do que organizar uma campanha de doação é garantir que o restante do acervo e os novos volumes também não padeçam do mesmo fim.

A ESDI fica na rua Evaristo da Veiga 95, Lapa – Rio de Janeiro. Para aquele que não conhece, visto de fora, o endereço parece um velho estacionamento. Mas pode entrar que é lá mesmo.

6 comentários:

Dinnaps disse...

\ No website que os alunos criaram para divulgar o ocorrido já existem mais informações a respeito. Ninguém ainda sabe exatamente como os livros saíram da biblioteca, mas parece que foi uma ação gradual dos ladrões.

Ricardo Artur disse...

Se essa notícia não estivesse ligada a uma área de elite - cujos livros são de custo elevado e, portanto, possuem valor de mercado - eu até celebraria.
Imaginem a notícia: ladrões roubam bibliotecas para complementar sua educação. Tá bom, roubar é feio, mas ao se falar do Brasil e seus índices de leitura seria um progresso.

Infelizmente, duvido que muito que o interesse não seja meramente financeiro. Se quem roubou é estudante, possívelmente quis engordar sua coleção às custas do dinheiro público numa atitude extremamente egoísta. Se quem roubou quer revender, carecemos de uma investigação sobre as "promoções" na venda de livros.

De qualquer forma acho que cabe denunciar: Quem vir algum desses livros catalogados em algum sebo não deve se omitir.

Comunique! Estaremos atentos!

Confesso que eu, como filho da PUC, tinha uma certa "inveja" da biblioteca da ESDI. Felizmente, ela é aberta para consulta e isso é um conforto para qualquer estudante ou professor de Design residente no Rio de Janeiro. O que torna a notícia ainda mais alarmante.

Girardet disse...

Isso é muito comum pra falar a verdade. Muitos livros e obras diversas são roubados da Biblioteca Nacional.

Dinnaps disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Artur disse...

O curso de design é um curso de elite, e há dúzias de pesquisa que comprovam isso. Se quiser continuar duvidando disso, faça como quiser. O fato de ser elite não vem ao caso nessa situação, como você bem disse. Roubo é roubo.

Não sei se percebeu, mas disse exatamente o oposto. Se quiser eu explico a ironia. Se bem que piada explicada perde a graça.

Livros de design costumam ser caros. Seja pelo seu processo de produção de alto custo, seja por se tratar de um curso de elite, com um público consumidor que limita a produção de grandes tiragem. Isso sem mencionar as questões que envolvem a indústria editorial no Brasil.

A ironia está exatamente aí, pois se os livros fossem baratos, dificilmente seriam roubados.

Como a mensagem não ficou clara, reitero: o interesse de possur livros caros, seja para revender ou para montar sua coleção pessoal não justifica roubo nenhum.

Dinnaps disse...

\ Isso me fez lembrar o caso de uma designer das antigas, muito conhecida no meio aqui no Rio de Janeiro, que surrupiou da ESDI as cópias de sua própria monografia, em clara tentativa de evitar a queimação de filme que estas lhe causavam.

Um dia conto essa estória, mas no caso da referida designer (DIZEM, eu não li o trabalho, pois não haviam mais cópias disponíveis), havia um ótimo motivo para o furto...

A verdade é que roubo é roubo, e quem rouba sempre tem uma razão para justificar, qualquer que seja.