2.3.07

POR ÁGUA ABAIXO



Olha... eu teria muitas coisas a dizer em relação a mudança da Identidade Visual da CEDAE. No entanto, só de saber que esta foi resultado de um concurso entre os funcionários da empresa já é suficiente. Vou deixar aqui o link para o artigo Designers? Para quê? de Mauro Pinheiro, Doutor em Design pela PUC-Rio.

No mais, na minha opinião é que se a CEDAE quis renovar sua imagem, pela identidade visual veremos que ela está indo DESCARGA ABAIXO!!!

6 comentários:

Girardet disse...

Eu curiosamente não tinha visto essa marca, pois ela mudou justamente quando eu estava de mudança...mas ouvi falar dela e é a primeira vez que vejo. Uma pena uma empresa de grande porte ignorar totalmente o trabalho dos designers, mesmo os que a própria empresa deve ter em seu quadro. Esse é o calvário por que temos de passar se não fizermos nada.

Girardet disse...

Eu me lembrei disso agora. Essa marca não é parecida com a marca daquela loja de CD que fica ao lado do cinema no Shopping Tijuca?

Kath disse...

Vocês que não entendem nada! A marca está de acordo com a proposta da empresa: descer pelo cano.

Anônimo disse...

Daqui "design by Portugal",não conheço a empresa nem a sua politica muito menos o seu produto,absolutamente nada, mas olhando muito friamente para o resultado final, não pude deixar de me sentir inquieta e com a certeza que o papel do designer faz cada vez mais sentido.

dinnaps disse...

\ Na primeira vez que vi esta marca, me lembrei imediatamente de um episódio de Tiny Toons, onde o ainda bebê Plucky Duck, encantado com o vórtice gerado pela descarga do "troninho", começa a jogar coisas lá dentro, repetindo variações da frase — "o barquinho desce pelo buuuraaaco!". Obviamente, uma hora a coisa fica fora de controle, com a privada entupida e despejando água.

Hoje, mais crescido, Plucky Duck certamente diria que "a CEDAE desceu pelo buuraaaco" nessa. Sem direito a desentupidor ou ctrl+z.

Kath disse...

Sensacional episódio!!!
Mas eu acho que é diante desta atitude ta CEDAE que os designers precisam se unir e mostrar que existem. Fica difícil sem um sindicato, ordem, ou qualquer coisa similar, mas algo precisaria ser feito, mesmo que partisse das grandes empresas de design.